Freguesia de Arcos de Valdevez - Salvador

Ir em baixo

Freguesia de Arcos de Valdevez - Salvador

Mensagem  Miguel Pereira em Qua Maio 05, 2010 5:08 pm


Brasão– escudo de ouro, com um mundo de crucífero de azul guarnecido de prata, entre quatro sinos de vermelho, com badalos e cabeçotes de negro; campanha diminuto de três tiras onduladas de azul e prata. Coroa mural de prata de três torres. Listel branco, com legenda a negro: «ARCOS DE VALDEVEZ – SALVADOR».
Bandeira– de vermelho. Cordão e borlas de ouro e vermelho. Haste e lança de ouro.

Padroeiro: Divino Salvador.
Habitantes: 1.091 habitantes ( I.N.E. 2001) e 1.025 eleitores em 31-12-2003.
Sectores laborais: Agricultura, comércio e artesanato.
Tradições festivas: N. Senhora do Castelo (Maio), S. João da Valeta (23 e 24 de Junho), S. Bento (11 de Julho) e Senhora da Lapa (28 de Agosto).
Valores Patrimoniais e aspectos turísticos: Igreja Matriz, Igrejas do Espírito Santo, da N. S. da Lapa, de S. Bento, Capela da Praça, Casa do Terreiro, Pelourinho dos Arcos, Retiro Vergílio Amaral, Miradouro, Rio Vez e Praia Fluvial da Valeta.
Gastronomia: Papas Sarrabulho, rojões, arroz de lampreia, cabrito assado, bacalhau à violeta, cozido à portuguesa, rebuçados dos Arcos e charutos de ovos moles.
Colectividades: Clube Atlético de Valdevez, Centro Social e Paroquial de Arcos de Valdevez (Salvador), Amigos do Rio Vez-Associação de Defesa do Ambiente, Grupo de Teatro Alerta, Grupo de Estudos do Património Arcoense (GEPA), Sociedade Misical Arcoense e Associação Cultural Lá-Mi-Ré.


(Vista da Freguesia do Salvador, a partir de uma curva do rio Vez)

A freguesia do Divino Salvador do Mundo não é das mais antigas do Concelho. Segundo uns apontamentos Corográficos de autor desconhecido, "O Santíssimo Salvador da Villa (foi) antigo lugar da freguesia de Guilhafouse", da qual foi desmembrada posteriormente. A Igreja Matriz passou posteriormente para a Capela da Praça, como se pode deduzir pela inscrição da pia baptismal, e depois para o actual local, ao lado da Igreja do Espírito Santo, onde foi reedificada entre 1690 e 1700.
Em 1541, aquando da demarcação dos limites de Santa Comba de Vila Fonche e S. Paio, nota-se a existência da freguesia de S. Salvador.
São Pedro dos Arcos, tal como é referido na cópia de 1580 do Censual de D. Frei Baltasar Limpo, teria sido também denominada São Salvador, sendo esta a única menção à Igreja de São Salvador dos Arcos conhecida até finais do século XVI. Por seu turno, Pinho Leal diz ser esta freguesia mais moderna do que a de Arcos S.Paio, não se sabendo ao certo o ano da sua fundação e acrescenta: "nem do foral nem tão pouco dos livros das visitas das jurisdições dos arciprestes de Loureda, arcediagos de Labruja e comarca de Valença consta coisa alguma da paróquia do Salvador nos anos anteriores a 1700".
A Freguesia de Arcos - Salvador começou a crescer desde o Rio Vez, pelo sítio chamado da "Balleta". Assim, a zona urbana desenvolveu-se pela Valeta acima, razão pela qual se compreende que nesta zona encontremos uma placa com a designação "Zona histórica". O bairro da Valeta continua a ser dos mais característicos da freguesia e pouco evoluiu até ao nossos dias. A maioria das pessoas dedicava-se as actividades agrícolas e artesanais e só mais recentemente se desenvolvem actividades ligadas ao comércio (talhos, casas de pasto, tabernas, sapatarias, barbearias, prontos a vestir, Ourivesarias, etc.).
Na vila propriamente dita, desenvolvem-se as actividades ligadas a serviços administrativos, justiça, pensões, hotéis, consultórios, correios, teatro, etc.



(O Pelourinho da Vila, tendo por trás a Igreja Matriz)


Refere-se na cópia de 1580 do Censual de D. Frei Baltasar Limpo que São Pedro dos Arcos seria também denominada São Salvador. Contudo, esta é a única menção à igreja de São Salvador dos Arcos conhecida até finais do século XVI.
Pinho Leal diz ser esta freguesia mais moderna do que a de São Paio, não se sabendo ao certo o ano da sua fundação. E acrescenta que "nem do foral nem tão pouco dos livros das visitas das jurisdições dos arciprestes de Loureda, arcediagos de Labruja e comarca de Valença consta coisa alguma da paróquia do Salvador nos anos anteriores a 1700".
Existem todavia no Arquivo Distrital livros de registo paroquial desta freguesia desde o ano de 1662.

_________________
Miguel Pereira

"O que porrada e dinheiro não resolver é porque foi pouco!"
avatar
Miguel Pereira
Administração
Administração

Mensagens : 98
Data de inscrição : 19/12/2009
Idade : 38
Localização : Em Lisboa, infelizmente...

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum